sábado, 1 de dezembro de 2012

Chegou o dia

 
 
 
Da árvore de Natal.
Para a posteridade,já fiz questão de tirar as fotografias indispensáveis e de registar no caderno que estou a escrever para ela (que comecei,ainda estava ela dentro da barriga), estes tão únicos momentos. Porque como já eu disse aqui um número razoável de vezes (mas nunca será em demasia), é disto, de momentos únicos,que o melhor da vida se faz. E há que agarrá-los,de todas as formas que seja possível fazê-lo,porque eles escapam-se, fogem e é absurdo afundarem-se no esquecimento.
O entusiasmo infantil que outrora foi meu,no dia em que a árvore de Natal ganha vida dentro de casa,agora é o entusiasmo dela,que embora não sabendo do que se trata,já se alicia com as formas,as cores e as luzes,percebendo que há algo que foge à normalidade.











Enquanto isso,a banda sonora cá em casa é esta,que é dos
sons que melhor me soam aos ouvidos.



Sem comentários:

Publicar um comentário