quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

"Post" do fim do mundo

Mais extasiante do que uma passagem do ano,a escassos minutos das doze badaladas,é a sensação de estarmos a escassas horas do dia "traçado" pelo povo Maia,séculos atrás,como o último dia do mundo. Os Maias sabiam muito de muita coisa, sabiam inclusivé de coisas quiçá,demasiado avançadas para o contexto da época. Mas nem os Maias,nem ninguém são exímios em premonições,profecias visionárias e outras que tais.
Há algo e somente isso,que é inegável: o mundo acabará com toda a certeza para cada um de nós,seres vivos, um dia . E depois o mundo continua,para os que ficam.
Para mim,o fim do mundo é quando vejo determinadas notícias na televisão ou nos jornais,que me deixam estática e muda de choque.
Parêntesis de silêncio,a isto que se chama vida.
Gritos de alarme a quem precisa de acordar para a vida.
Não,não estamos a escassas horas do dia do fim do mundo.


Todos os dias ,são dias dele. De uma maneira ou de outra.

Sem comentários:

Publicar um comentário