terça-feira, 9 de setembro de 2014

reservatório dos melhores momentos

Muitas vezes falamos os dois sobre como é quase impossível conceber uma vida A.L. (antes Leonor).
Porque ela já é um tanto imenso de nós, que parece, de alguma forma, nunca termos existido, antes de ela acontecer nas nossas vidas.
Com toda a certeza , renascemos ou renovámo-nos há 3 anos atrás, quando ela nasceu.
Esta fase é muito especial (ok,são todas) porque é quando ela começa a estabelecer (uma espécie de) conversas, quando começa realmente a perceber o que é um aniversário, porque é que há uma festa, porque é recompensada com um presente, porque é que existe uma repreensão,porque é preciso fazer as coisas "assim" e não "assado" e, acima de tudo, porque ela todos os dias expressa o seu amor com autênticas declarações de "gosto de ti!", acompanhadas pelo melhor abraço desta vida.
É tudo tão belo e a fase de encantamento é tão absoluta, que queremos "congelar" tudo isto, de forma a viver nesta redoma de doces momentos, o resto de toda a nossa existência.
E foi isso que fizemos nestes últimos dias.
Fomos para outras paragens, vimos um outro céu, outros mares, pisámos chão novo ( e também do antigo, que eu gosto), ignorámos os relógios, desprezámos os minutos que se esvaem e fizemos do rir, a nossa prática diária. Foi pouco tempo, mas como eu costumo dizer, estes momentos já ninguém nos tira.
Foram congelados para sempre.







 
   

Sem comentários:

Publicar um comentário