domingo, 13 de abril de 2014

quando uma porta se fecha

...há outra algures que se abre. Por vezes assola-me um saudosismo nostálgico ou uma nostalgia saudosista, mas depois passo à frente e concentro-me no que de facto tenho e foco-me no que quero vir a ter. Só assim é que a máxima  viver um dia de cada vez, faz sentido ...ou não?
Como tal, concentro-me no facto de nós os 3 sermos o recheio  e a componente mais importante de qualquer casa que tenhamos ou venhamos a ter e foco-me nessa continuidade,foco-me na ambição despretensiosa de querer simplesmente ter mais tempo para nós, para mim, e ocupar a minha vida a fazer algo que me dê prazer e liberdade. Liberdade para viver, acima de tudo. Esta parte da "focagem" é o futuro, para onde queremos caminhar,algo que implicará dedicação e trabalho.
Seja. É por aí mesmo que quero ir.
Para já aquilo que muda é a porta, o tecto, o chão. Ou talvez,nem tanto assim...


a porta,foi o primeiro impacto. Lá dentro, há janelas numa encruzilhada de luz, com as portadas de madeira que eu adoro e, claro está....o meu chão.
Life's good.

Sem comentários:

Publicar um comentário