quarta-feira, 20 de junho de 2012

Absorta





Deixo que permaneçam quase que intocáveis certos momentos,que de tão sublimes,simples,puros e únicos,
arrebato-os desmesuradamente num gesto cioso,nada altruísta...apenas meu.
É como se o tempo parasse,é como se conseguisse tocar no metafísico,no impossível ao toque,no que chega ao coração.
É tão somente aqui,que a minha natureza se encontra e se encanta e que nada mais importa.

E olhar para ela. Perder-me para sempre...a olhar para ela. 

Sem comentários:

Publicar um comentário