segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

quando o cinema assalta as palavras escritas

Há livros que nunca mais se esquecem
seja pela própria história, seja pela singularidade das personagens, seja pela forma como está escrito.
seja por tudo isto e algo mais.
quando um livro se tornou definitivamente marcante e há uma infinitude de opiniões unânimes em relação ao mesmo, o cinema toma de assalto essa história, o que nem sempre é bom.
há coisas que devem ficar assim e permanecer sempre intocáveis, como se o mínimo toque as danificasse.
a maior parte das vezes que o cinema adapta um livro à película, o resultado não é, quanto a mim, dos melhores; porque se perde uma boa parte da essência narrativa, porque chegamos ao fim a interrogar sobre este ou aquele pormenor que eram tão importantes e que de repente,ou deixaram de existir, ou ficaram irremediavelmente dissimulados.
isto tudo para dizer que vai sair um filme que é adaptação de um desses livros,cuja história é lindíssima e as personagens,marcantes.
claro está que não resisto à curiosidade de o ver, mas levo as algibeiras um tanto vazias de expectativas...quem sabe desta vez eu me engane.
             

    " sometimes people are beautiful
     not in looks
     not in what they say
     just in what they are "
      
                      Marcus Zusak, "The Book Thief"  

                                  

Sem comentários:

Publicar um comentário