segunda-feira, 7 de outubro de 2013

a pura e real energia

É sem dúvida,a de mãe.
Das mães que despertam quando ainda a luz da manhã é uma pequeníssima miragem;que trabalham não só fora,mas também dentro de casa (e que trabalheira dos diabos!),das que, adversidades á parte, procuram ver sempre o copo "meio-cheio" e declinam perante a perspectiva do copo "meio-vazio"; das que alicerçam indestrutivelmente um lar e protegem o seu precioso "núcleo" contra tudo e acima de tudo; das que chegam ao final do dia e quando tudo nelas transpira cansaço,se recusam a desistir de sorrir e persistem em manterem-se de pé,em prol do que de facto é merecedor de todo o esforço e resistência; das que finalmente se deitam extenuadas,é um facto,mas com o coração cheio.
Prontas para no dia seguinte, começar tudo de novo.







   

Sem comentários:

Publicar um comentário